Oficina de Xilogravura

Oficina de Xilogravura

R$200,00

Para quem gosta de experimentar técnicas diferentes de arte. A xilogravura é uma técnica em que se entalha na madeira, com ajuda de um instrumento cortante, a figura ou forma (matriz) que se pretende imprimir. A xilogravura é de provável origem chinesa, sendo conhecida desde o século VI.

No Brasil, é muito conhecida através da arte popular da Literatura de Cordel, onde as xilogravuras são usadas para ilustrar as histórias fantásticas.

Professora: Kelly Kreis

14h às 18h

TEM INTERESSE? CLIQUE AQUI 🙂

Fora de estoque

Categoria:

Descrição

A xilogravura é uma técnica em que se entalha na madeira, com ajuda de um instrumento cortante, a figura ou forma (matriz) que se pretende imprimir. Após este procedimento, usa-se um rolo de borracha embebida em tinta, tocando só as partes elevadas do entalhe. O final do processo é a impressão em alto relevo em papel ou pano especial, que fica impregnado com a tinta, revelando a figura. Entre as suas variações do suporte pode-se gravar em linóleo (linoleogravura) ou qualquer outra superfície plana. Além de variações dentro da técnica, como a “xilogravura de topo”.

A xilogravura é de provável origem chinesa, sendo conhecida desde o século VI. No ocidente, ela já se afirma durante a Idade Média. No século XVIII duas inovações revolucionaram a xilogravura, a chegada à Europa das gravuras japonesas coloridas, que tiveram grande influência sobre as artes do século XIX, e a técnica da gravura de topo criada por Thomas Bewick.

A xilogravura popular brasileira é uma permanência do traço medieval da cultura portuguesa transplantada para o Brasil e que se desenvolveu na literatura de cordel. Quase todos os xilógrafos populares brasileiros, principalmente no Nordeste do país, provêm do cordel. Entre os mais importantes presentes no acervo da Galeria Brasiliana estão Gilvan Samico, José Costa Leite, J. Borges, Amaro Francisco e José Lourenço.

Na oficina de xilogravura, teremos uma introdução com a história da Xilogravura, e aulas práticas de corte e impressão

 

Programa:

 1º Dia:

– Uma breve história da técnica de xilogravura, com exemplos de artistas estrangeiros e brasileiros

– Produção de desenhos para fazer xilos

– Corte das xilos

 

2º Dia

– corte das xilos

– impressão das xilos

 

Professora: Kelly Kreis é formada em Artes Visuais – habilitação Licenciatura. Já fez 8 exposições individuais e já participou de 21 coletivas. É desenhista, pintora, pintora digital e gravadora. Participou da exposição coletiva “Arte da Gravura em Santa Catarina”, (2001) exposição itinerante pelo Estado de Santa Catarina, curadoria de Jayro Smidth, e também da mostra coletiva “Gravura Contemporânea: Vestígios Singulares”, também itinerante pelos Estado de Santa Catarina (Sesc), curadoria de Sandra Favero. Recentemente participou da exposição “Idílios Cósmicos” juntamente com o artista catarinense Meyer Filho pela Bienal de Curitiba – polo SC, em 2019. Trabalha como artista visual no Espaço de Arte Árvore da Felicidade (Florianópolis) e no Espaço BB Arte Ipanema (Rio de Janeiro).

Ferramentas: Serão usados um computador, tinta de impressão, papel para impressão, pequenas plaquinhas de MDF, goivas, papel, marcadores, colheres de pau (para impressão), fita crepe.

O aluno não precisará levar nenhum material, a professora trará todo o material.

Carga horária: 8 h (quatro horas para cada dia)

Público alvo: amantes da arte em geral, interessados em outras técnicas de artes visuais

Pré-requisitos: não há pré-requisitos

Número de vagas: 08

 

2019. Oficina MAR.U | contato@oficinamaru.com.br